2 de fevereiro de 2010

Relativa feiura ...

Estava eu pensando a caminho do trabalho sobre as causas, razões, motivos e consequências de uma série de eventos. Inclusive um destes eventos no qual pensava era na reforma ortográfica brasileira. Passado um ano que ela entrou em vigor e eu ainda não estudei estas malditas mudanças e provavelmente continuo escrevendo errado.

Bem ... Também observava as pessoas (como sempre faço) que utilizam do transporte coletivo alternativo de Fortaleza topique 05 e meditava. O que nos define como feios? Vocês já pararam para pensar que se não existissem referências não poderíamos definir que algo é isso ou aquilo? Se fulano é feio ele fatalmente foi comparado a ciclano.
Vamos analisar este clássico de nossa infância:



Viram? Agora vamos decodificar cada momento do episódio!
O Patinho Amargurado se identifica com o personagem da historinha que lê. Então ele passa a ter uma imagem de como ele é visto pela sociedade que lhe julga. Num ato de desespero tenta acabar com sua vida medíocre, mas Jerry o salva.

O ratinho bondoso entende que o problema do Pato é com sua própria auto-aceitação e veste a ave com roupinhas homossexuais, mas ao se olhar no espelho, o pobre pássaro que não voa vê que seu reflexo continua o mesmo. O que mudou foi que agora ele parece uma versão bizarra do Kiko da turma do Chaves.

O patinho não desiste e apela para o Tom se oferecendo como refeição. Pode-se dizer que ele estaria sijogando nas buatchy tentando ser devorado por qualquer coisa que quisesse comê-lo, né?
Depois de ver o Patinho sijogando, Jerry acha que ele queima e apela para uma coisa mais GaGa maquiando a Pata e a deixando com um visual abalantchy.
Depois de tudo isso o Patinho desiste de se matar e resolve viver para todo o sempre sem mostrar a fêice. É quando a versão marreco da Penélope Charmosa aparece e faz brotar o lado hétera que estava adormecido naquela bola de penas.

Moral da história: "Quando você encontra alguém para chamar de seu você esquece o quanto é feio. Se esse alguém não aparecer você tem 2 opções: Mate todas as pessoas bonitas ou se esconda para todo o sempre!"

Viram só? Como eu falei é tudo uma questão de referências.
E minhas referências são ótimas (ou péssimas, nem sei).
Vou alí no meu psicólogo e já volto =*
Postar um comentário